Ghost Pirates of Vooju Island

Críticas sobre adventures. Aberto a todos os membros que queiram publicar a sua própria resenha sobre jogos de aventura.

Ghost Pirates of Vooju Island

Diego DJ Souza
Capitão Flooder
Diego DJ Souza
Capitão Flooder
Joined: Mar 1 2006, 05:16 AM

Apr 17 2010, 02:51 AM #1

INTRODUÇÃO
A pirataria está mesmo em alta (e não é só no que diz respeito à distribuição de softwares na internet). Depois de revisitarmos recentemente o poderoso pirata Guybrush Threepwood tanto no remake quanto no quinto episódio da série Ilha dos Macacos, agora temos o talentoso Bill Tiler (de Monkey Island 3) nos brindando com um novo trabalho que traz outra vez um mundo povoado por audaciosos bucaneiros em Ghost Pirates of Vooju Island.

HISTÓRIA
A premissa parece simples: o jogo acompanha as peripécias de 2 piratas e 1 feiticeiro de vodu em sua tentativa de resgatar o rei Flint das garras de uma ardilosa feiticeira. Porém a grande sacada do jogo reside no fato de que os 3 protagonistas são espirítos presos em uma espécia de limbo, entre a vida e a morte, e poderão usar suas novas habilidade de fantasmas para progredir na aventura e impedir os terríveis planos de rainha Zimbi.

Os personagens são em sua maior parte interessantes, especialmente o trio principal. O humor é por vezes muito bom, mas nunca chega a ser tão inspirado como o clássico Monkey Island 3, também desenvolvido por Bill Tiler. Na minha opinião isso se deve ao fato de que os 3 protagonistas juntos tentam, mas não conseguem reprisar o carisma de Guybrush Threepwood (a mesma impressão que tive com a Mona de A Vampyre Story). Porém tudo isso são apenas detalhes pessoais que acredito que a maioria dos jogadores provavelmente não se importará, visto que o jogo é em sua maior parte de ótima qualidade.

JOGABILIDADE
A clássica e intuitiva jogabilidade de Monkey Island 3 e A Vampyre Story retorna uma vez mais, nos mesmos moldes, sem alterações. O botão esquerdo do mouse abre o menu de ações e o botão direito ativa o inventário. Simples, direto e funcional.

Os quebra-cabeças são na maioria baseados no inventário, porém são bastante criativos e diversificados nas suas soluções, exigindo a combinação de itens de formas por vezes inusitadas, mas sempre fazendo sentido, dentro da lógica bem humorada do jogo. A melhor das ideias é a possibilidade de alterar entre os 3 protagonistas a qualquer momento, cada um em sua própria missão, resgatando a saudosa dinâmica de Maniac Mansion e Day of the Tentacle, o que torna toda a experiência jamais monótona, em razão da não-linearidade dos cenários e de proporcionar uma grande quantidade de locais para se explorar. Além disso, como os personagens são "espiritualmente ligados", eles podem travar diálogos entre si e trocar conhecimentos ou fornecer dicas uns aos outros. Há momentos de comédia realmente agradáveis, embora não exatamente hilariantes, raras exceções.

Há também a presença de alguns enigmas experimentais que sucedem parcialmente, como o jogo de mimíca, que apesar de engraçadíssimo pela situação em que aparece, requer repetidas tentativas até começar a fazer sentido. Decepciona, todavia, o duelo de espadas no final, que mais requer sorte do que raciocínio, e poderia ser um momento muito mais empolgante ou engraçado se lembrarmos que temos o mesmo profissional que já nos presenteou com os divertidos duelos de Monkey Island 3. De fato, todos os quebra-cabeças finais são bem fracos em relação ao restante do jogo.

PRODUÇÃO
Praticamente perfeito em todos os seus aspectos de produção. Gráficos belíssimos e inspirados, os personagens 3D são bem-feitos e com bom design, porém não tem boa sincronia labial. Os vídeos não-interativos também podiam ser melhores e mais ágeis, com uma edição mais rápida, menos closes, e mais ação. A música é adequada, por vezes memorável, mas nem sempre contagiante como em Monkey Island 3 (mas também isso seria muito difícil), e quase tão boa quanto em A Vampyre Story, com destaque para o tema de abertura que reaparece várias vezes durante o jogo. A dublagem é ótima e a atuação é muito boa, fato cada vez mais raro nos jogos hoje em dia.

CONCLUSÃO
Enfim, Ghost Pirates of Vooju Island é um divertido adventure, um dos melhores dos últimos tempos, que chega perto de se tornar um novo clássico, não fosse por algumas questões que diminuem consideravelmente o seu impacto. Mas não deixe que isso o impeça de jogar esse ótimo exemplar do gênero. Altamente recomendado.

NOTA FINAL: 8

SE VOCÊ GOSTOU DESSE JOGO:
JOGUE: Day of the Tentacle, The Curse of Monkey Island, A Vampyre Story
ASSISTA: Piratas do Caribe - A Maldição do Pérola Negra
LEIA: A Ilha do Tesouro
Quote
Like
Share